comida

Ranking: os piores ovos da Páscoa à venda nos supermercados

Preenchem, por esta altura, as prateleiras de todas as lojas. Os miúdos adoram, mas é preciso ter cuidado com o açúcar.
Os miúdos deliram.

As idas às compras com os miúdos, nesta altura do ano, transformam-se em verdadeiros desafios de resistência para muitos pais. A culpa é dos ovos de Páscoa, uma das tradições incontornáveis da época, que enchem as prateleiras de diferentes tipos embrulhados coloridos. 

A tradição teve início no século XII, em França, após o regresso de Luís VII das Cruzadas. Na altura, o rei foi recebido em festa com vários produtos das terras exploradas. Além dos legumes e da carne, os ovos eram os protagonistas. A partir daí, todos os anos, presenteavam-se familiares e amigos com ovos feitos a partir dos mais diversos materiais (desde o vidro à madeira). As versões que hoje conhecemos — as de chocolate — só surgiram alguns séculos mais tarde nas pastelarias francesas. 

Por mais que tentemos, eles acabam sempre por ir parar às mãos dos miúdos. A nutricionista Lia Faria alerta que, apesar de serem “docinhos típicos desta altura do ano”, o maior problema é “a porção de consumo” destes chocolates. 

“Muito facilmente uma criança ou adulto consegue comer grande parte, ou a totalidade de um ovo de chocolate durante a Páscoa sem ter a noção do impacto desse consumo a nível nutricional. Os ovos de chocolate rondam os 50 a 60 g de açúcar por 100 g de produto e, tendo em conta que a maioria deles pesa cerca de 150 gramas estamos a falar de 75 a 90 gramas de açúcar por ovo da Páscoa, o que corresponde entre 15 a 18 pacotes de açúcar.”, explica a especialista.

Ainda assim, Lia Faria diz que tudo é uma questão de “equilíbrio”. “O ideal é dividir o consumo do ovo ao longo de uma ou duas semanas e, desta forma, é possível aproveitar estes docinhos sem que haja um consumo excessivo de açúcar”.

Em todos os ovos analisados, os macronutrientes predominantes são, sem grandes surpresas, os hidratos de carbono (dos quais açúcares). A quantidade de gordura saturada também não é satisfatória. A presença destes dois nutrientes resultam em chocolates que podem fornecer mais do que as calorias necessárias para um dia inteiro, caso sejam consumidos por completo num só dia, especialmente para quem está em processos de emagrecimento.

Para que não faça más escolhas, pedimos à nutricionista Lia Faria que fizesse um ranking com os piores ovos de chocolates de marca branca que se encontram à venda. “Alguns supermercados, nomeadamente Pingo Doce, Auchan e Mini Preço não apresentavam ovos de chocolate de marca própria. Para este ranking foram usados os ovos das marcas disponíveis apenas nesses supermercados, dentro no nosso conhecimento”, avisa.

A lista inclui sete produtos diferentes e o que deve mesmo evitar contém 527 calorias, com 60 gramas de açúcar por cada 100 gramas. Portanto, se comer esta quantidade, mais de metade do que está a ingerir é açúcar.

Carregue na galeria e descubra os ovos que deve evitar oferecer aos miúdos nesta Páscoa, com base na quantidade de açúcar. 

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA