comida

Preparar marmitas criativas que encantam os miúdos é mais fácil do que parece

Esta tarefa não é para todos. Exige tempo, muita organização e nem todos os alimentos servem.
As tostas em forma de urso são sempre um sucesso.

Com o regresso às aulas volta também a tarefa que uns adoram e outros odeiam. Preparar os lanches dos miúdos pode ser um desafio. Porém, para algumas mães e pais fazer uma marmita é criar uma verdadeira obra de arte. A brasileira Paloma Boff insere-se neste grupo e aproveita a preparação dos snacks que a filha leva para a escola para dar asas à criatividade.

A criadora de conteúdos de 28 anos, natural de São Paulo, veio viver para Portugal em 2020. O marido arranjou emprego por cá e a família mudou-se. Pouco tempo depois, Valentina entrou para a escola e a mãe sentiu a necessidade de encontrar alguma forma de tornar a adaptação a uma nova escola e a um novo país mais fácil. A solução que encontrou foi preparar lancheiras com os alimentos preferidos da filha de uma forma especial. “O objetivo era enviar-lhe um bocadinho de amor e lembrá-la que não estava sozinha.”

Como já costumava partilhar alguns momentos do seu dia nas redes sociais, publicou também os aqueles em que tratava dos lanches da pequena. As partilhas viralizaram, e hoje, Paloma Boff conta com quase dois milhões de seguidores no TikTok, que acompanham o processo de preparação das marmitas da Valentina. Os recipientes coloridos, os alimentos variados e com diferentes formatos, tornaram-se uma referência nos vídeos partilhados.

A influenciadora conta que tenta sempre agradar Valentina. “Como mudámos de país, é normal que, sobretudo no início, a Valentina não gostasse de todos os pratos que serviam na cantina da escola. Nos dias em que sabia que o almoço era peixe ou alguma comida que ela não ia comer, reforçava sempre o lanche.” Paloma não se limita a cortar alimentos e a colocá-los na lancheira. Preocupa-se em escolher os mais saudáveis, com pouca ou nenhuma adição de açúcar e dá preferência às frutas da época.

Paloma e a filha, Valentina.

A nova rotina não só mudou a vida da brasileira, que se tornou criadora de conteúdos a tempo inteiro, como a alimentação de toda a família. “Quando comecei a dedicar-me mais a esta tarefa percebi a importância de manter um estilo de vida saudável e o nosso papel, enquanto pais, de educar nesse sentido.”

O que começou como um hobby fez com que se apaixonasse ainda mais pela cozinha: “Esta área não era o meu forte, mas as lancheiras incentivaram-me a prestar atenção aos alimentos que compro e como os confecciono”, conta. “Ao oferecer refeições mais saudáveis à minha filha, também me tornei uma pessoa mais saudável. Isso mudou a minha vida”, conclui.

A pequena Valentina confessa que adora os lanches originais e que até os partilha com os amigos. “Adoram comer o que levo e isso fez-me perceber que ser saudável é muito bom.” Muitas vezes, a menina de sete anos dá sugestões criativas e ajuda a mãe a preparar as marmitas.

Bentô: a arte japonesa de fazer marmitas

A forma como Paloma prepara os lanches da filha tem um nome e teve origem no Japão. Preparar uma bentô, como é chamada a marmita japonesa, é considerada uma forma de demonstrar carinho por alguém especial. A tradição surgiu durante o século XII, quando agricultores e pescadores começaram a preparar refeições para levarem para o trabalho. Com o passar dos anos, este hábito foi ganhando detalhes que o transformaram num gesto de afeto.

Tradicionalmente, a bentô era composta por arroz, peixe ou carne e legumes cozidos. O que torna o preparo especial é a maneira como os alimentos são apresentados: separados de acordo com a categoria, com enfeites ou em formatos inusitados. Atualmente, o leque de alimentos que integram uma marmita é mais vasto e pode incluir fruta, laticínios, frutos secos e outros.

Contudo, é importante ter cuidado na escolha tanto dos recipientes como na disposição dos alimentos.  A fruta cortada tem tendência a oxidar facilmente e, em contacto com alimentos secos acabam por humedecê-los. Se a marmita não for colocada no frigorífico na escola, alguns alimentos também devem ficar de lado. O fiambre, os ovos e as sandes com molhos são alguns exemplos.

A tarefa de preparar uma marmita criativa e variada não é difícil. Porém, exige muita disponibilidade de tempo e organização, porque as lancheiras são feitas na hora. Se é uma daquelas pessoas que está sempre à procura de ideias para criar as marmitas dos miúdos, carregue na galeria para ver alguns dos lanches que Paloma preparou para a filha.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA