comida

DaHorta: a empresa que entrega cabazes de frutas e legumes sem taxas extra

Um casal reinventou-se totalmente durante a pandemia. Agora, dedica-se ao terreno de família onde cultiva tudo aquilo que vende.
Tudo é biológico.

Chama-se DaHorta e nasceu no dia 29 de junho pelas mãos de Inês e Nuno, 35 e 42 anos. O casal, formado nas áreas de Comunicação Empresarial e Marketing, respetivamente, decidiu mudar de vida com a pandemia. Agora entrega cabazes com produtos biológicos, cultivados por si, ao domicílio.

“O terreno onde fazemos a nossa produção é dos meus sogros, que nos apoiaram nesta aventura e adoraram a ideia de nos poderem passar o conhecimento do que sabem e verem-nos a cuidar daquilo que eles conseguiram com tanto esforço”, conta-nos a proprietária.

Os pais de Nuno são de Chaves, onde cresceram rodeados pelo campo. Mais tarde tentaram passar essa ligação à terra ao filho. Por outro lado, Inês é “menina da cidade”, mas sempre adorou a “ideia de cultivar a terra, saber de onde vem o que comemos, ver os produtos crescer e ter essa ligação”.

Os fins de semana do casal eram passados a cuidar “da horta”, como sempre chamaram e de onde vem o nome do projeto. Os produtos da terra colhidos eram usados durante a semana nas refeições. O que sobrava era distribuído pelos familiares e amigos.

“A ideia de podermos aproveitar algo que a terra já nos dava e acreditamos ser bom, para criar a DaHorta e vender cabazes de legumes e frutas, surge na verdade da necessidade de ultrapassar algumas dificuldades financeiras pelas quais estamos a passar.”

Em maio, tomaram a decisão de criar a empresa e, com a ajuda dos pais de Nuno, plantaram mais variedade de produtos, organizaram o terreno, limparam áreas desaproveitadas e aguardaram até a terra oferecer uma quantidade suficiente para os primeiros cabazes, ainda entregues apenas a amigos e família. O objetivo era testar conceito.

“O projeto é familiar. O meu sogro ajuda com algum cultivo e com a rega diária. E até a minha filha de três anos e o meu enteado, de 13, estão sempre prontos a ajudar no que for preciso.”

Tudo é biológico e plantado com adubos naturais, como o estrume, sem qualquer tipo de químico. “Faz toda a diferença no sabor do produto final.” Assim, os legumes e frutas duram muito mais tempo em casa e não perdem sabor, mesmo que a produção seja menor e mais lenta.

Cada cabaz, que muda todas as semanas por essas razões, tem sempre cinco quilos e é composto por cinco a sete variedades de legumes, uma a duas variedades de fruta, e duas aromáticas. Custa 15€.

Em julho, deverão chegar ameixas, limão, physalis, e alguns pêssegos no final do mês. Entre os legumes, vai haver alfaces, roxa e verde, alho francês, pimentos e pepinos, batata, cebola, espinafres, courgette, feijão verde, entre outros.

As entregas para o concelho de Oeiras são gratuitas e realizadas aos sábados e domingos, entre as 18 e as 20 horas. Para encomendar, basta enviar uma mensagem privada através da página de Instagram ou um email para encomendas.dahorta@nullgmail.com.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA