comida

Caruma: o novo spot de Linda-a-Velha tem petiscos e mais de 70 vinhos

As referências são todas de produtores nacionais. Aqui não há televisão, num incentivo à conversa e ao convívio.
Uma novidade para conhecer.

“Vinhos e petiscos, exatamente por esta ordem”. É assim que Bernardo Cotrim, um dos responsáveis do Caruma, começa por apresentar este espaço, que abriu há menos de um mês — a 16 de agosto —, em Linda-a-Velha. É que aqui, as iguarias da carta só existem para acompanhar a seleção de vinhos, os grandes protagonistas do bar. 

“Queremos que seja um sítio de bem-estar, onde as pessoas vêm para beber um copo e relaxar. Não somos um sítio convencional. Não temos televisão nem servimos imperial. É um local para se conviver, para as pessoas falarem umas com as outras”, refere José Peralta, outro dos sócios. 

José e Bernardo, amigos há 20 anos, têm formação em áreas completamente diferentes, mas que se complementam neste negócio que decidiram abrir juntos. Uniram-se para dar vida a um conceito que, acreditam, fazia falta na zona. “Somos daqui, crescemos aqui. Eu já morei neste bairro, os meus pais ainda aqui moram. Queríamos trazer para aqui um tipo de espaço que gostamos de frequentar, mas não existia por estas bandas”, conta José. “Trazemos algo novo, mas mantendo a relação com as pessoas da zona”, acrescenta. 

A ideia do projeto surgiu com uma garrafa de vinho, que hoje está exposta no espaço. Com uma vasta oferta de vinhos à disposição (neste momento têm mais de 70 referências de vinhos e cidras), não faltam marcas de todas as zonas do País, de tintos a brancos, passando pelos rosés e pelos generosos.

“Todos os dias mudamos o vinho que temos a copo, normalmente pomos três à disposição, tentando dar destaque a zonas e estilos diferentes”, contam à New in Oeiras. Com um valor entre 3€ e 4€, “a beleza do vinho a copo é experimentar mais que um”, garantem. “O que para nós seria o maior desafio que era pôr as pessoas a beber vinho a copo, tem sido o mais fácil”, já que o feedback dos clientes sobre o conceito do espaço tem sido o melhor possível.

As sugestões do dia.

À NiO, Bernardo Cotrim reforça a importância de escolher com cuidado e dedicação cada produto que trazem para o Caruma. “Temos vinhos de pequenos produtores, de produtores independentes, de vinificações naturais, vinhos de agricultura biológica, com um trabalho de vinha bem feito, sem grandes truques de adega, em que existe um real jogo com a natureza. No fundo, o que oferecemos aos nossos clientes é um trabalho de curadoria”.

Os responsáveis acreditam que há ainda muito por explorar na parte da garrafeira, que tem feito sucesso com quem passou pelo espaço nas semanas. “Não temos vinhos convencionais e isso marca a diferença. Os preços variam, o vinho mais caro no momento é de 38€, mas a maior parte vai até aos 20€”, sublinha José. 

Se for até lá, peça uma sugestão aos responsáveis, de acordo com o tipo de vinhos de que gosta, e depois um petisco a acompanhar, claro. “Tentamos conduzir os clientes de acordo com o que lhes apetece no momento”, garante José. Pode, também, fazer o contrário, isto é, escolher o que quer comer e perguntar que vinho harmoniza bem com esses sabores. Mas saiba que o menu foi totalmente escolhido para ter petiscos que acompanhem os vinhos e não o contrário.

O plano é que as iguarias servidas possam ir variando conforme a época do ano. “A carta de comida respeita as temporadas, vai sofrendo alterações consoante a altura do ano. Por exemplo, está a acabar a época do feijão verde, vamos deixar de ter peixinhos da horta”, conta à NiO Bernardo Cotrim.

Além dos petiscos criados por Bernardo, que pode e deve provar, como os peixinhos da horta (6€), farinheira com broa e ovo (7€), bochechas de porco (9€), polvo (14€), prego em bolo lêvedo (7€) e cenouras com queijo curado (5€), tem também queijos e produtos de charcutaria para saborear. Os sócios garantem, com orgulho, que todos os ingredientes provêm de produtores nacionais.

Além disso, tentam não confeccionar os petiscos em quantidades exageradas. “Temos uma política de desperdício zero. Quando acaba um petisco num dia, já não fazemos mais. O que esgota, nesse dia, avisamos que não há mais”, explica Bernardo, responsável pela cozinha.

Hoje, com 35 anos, tem já uma longa carreira como chef. Tirou o curso na Escola de Hotelaria de Lisboa, trabalhou em França e na Bélgica e quando regressou a Portugal, quis abrir algo por conta própria. Por outro lado, José Peralta, de 38 anos, está pela primeira vez dedicado à área da restauração. Tirou o curso de Gestão de Marketing, no IPAM, e trabalhou durante vários anos como gestor de produto na área automóvel. “Agora trabalho para o lazer das pessoas e tenho vindo a apaixonar-me cada vez mais por vinhos e produtos nacionais”, refere.

O nome “Caruma”, como explicam à NiO, tem a ver com a mata que há mesmo ao lado do espaço, e que contribui para a sensação de tranquilidade e bem-estar de quem ali vai. A esplanada é também uma mais-valia, onde pode petiscar e beber um copo com os amigos ao final da tarde.

“As pessoas gostam de estar aqui. Além do bar de vinhos com petiscos, temos alguns produtos de cafetaria também. Podem vir beber um copo de vinho ao final do dia, um café a meio da tarde, tentamos enquadrar-nos e fazer a ligação ao bairro onde estamos”, referem. O Caruma abre às 15 horas, de terça-feira a sábado, e serve toda a carta durante as horas em que está aberto. 

Até agora, a divulgação do espaço tem sido feita apenas com base no passa-a palavra. “Não queremos ter enchentes. Queremos servir bem quem vem cá”, explicam à NiO. E, para ir surpreendendo os clientes, garantem já estar a pensar em dinâmicas a criar, seja ter música acústica ao vivo ou convidar produtores para falar dos seus produtos, tudo num conceito calmo e tranquilo, que faz parte do ADN do espaço.

Pode seguir o Caruma na página de Instagram ou, melhor ainda, visitar o espaço no número 17A da Rua Bernardo Santareno, em Linda-a-Velha. De seguida, carregue na galeria para conhecer mais o espaço e os produtos que serve.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua Bernardo Santareno 17A
    2795-036 Linda-a-Velha
  • HORÁRIO
  • Terça a quinta das 15 às 21 horas
  • Sexta e sábado das 15 às 23 horas
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Tapas

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA