comida

A Pikocina leva-lhe a casa empanadas e outras delícias argentinas

Tudo é feito por um casal, em que a mulher é natural da Argentina. A cozinha fica em Sesimbra, mas fazem entregas em Oeiras.
É só encomendar.

Yanet Boronat tem 24 anos, nasceu na Argentina e, com 12, mudou-se para Madrid com a família. Por sua vez, Ricardo Noura tem 26 anos, nasceu em Lisboa e há cinco anos foi para Madrid com um grupo de amigos. Conheceu Yanet na capital espanhola e apaixonaram-se.

Os dois anos seguintes seriam passados a viajar entre Lisboa e Madrid, à vez. Fartos do namoro à distância, e como trabalhavam os dois na área da restauração, viajaram durante três anos entre Tenerife, Palma de Maiorca e outros lugares procurados no verão, enquanto mudavam de restaurante ou hotel, para pagar as contas.

Foi assim que em setembro de 2020, em plena pandemia e já a viverem juntos em Madrid, decidiram mudar-se para Lisboa. Escolheram Sesimbra, onde optaram por seguir o sonho de ambos: abrir um negócio de comida.

Com as raízes de Yanet bem presentes, os jantares de família e os próprios restaurantes da mãe e do padrasto na memória, optaram pela cozinha argentina. Começaram a fazer empanadas e a levar os produtos até casa dos clientes.

A Pikocina foi criada em outubro de 2020. Atualmente, já alargaram a ementa para as versões vegan e até já existem doces daquele país sul-americano para provar. A boa notícia é que fazem entregas em todo o concelho de Oeiras, para isso só precisa de fazer uma encomenda mínima de meia dúzia de empanadas (9€), que podem ser cruas ou cozinhadas, e pagar a taxa de entrega (2,50€).

Existem opções de carne, carne picada, frango, atum, fiambre e queijo, chouriço, espinafres e cogumelos, humita (milho, bechamel de soja e cebola), pisto (cebola, courgette, pimentos e tomate), caprese, e queijo de cabra e cebola caramelizada. Os preços vão de 1,60€ a 1,80€ — uma dúzia custa 17€. Nos doces, existem os alfajores e os cañoncito (0,90€ cada).

Tudo é caseiro e feito com produtos argentinos. As encomendas devem ser feitas com um mínimo de 24 horas de antecedência e são entregues no concelho de Oeiras à quarta e à sexta-feira. Depois da pandemia, o casal sonha com um espaço físico aberto ao público e chegar a todo o País, e não só.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA