comida

A partir de novembro, é proibido vender palhinhas, talheres e pratos de plástico

Os cotonetes também entram na lista divulgada pelo governo. O objetivo é reduzir no mercado o número de artigos de utilização única.
Vão deixar de estar à venda.

Palhinhas, talheres e pratos de plástico vão deixar de ser vendidos em Portugal a partir de 1 de novembro. Nesse dia, os estabelecimentos estão mesmo proibidos de ter à venda vários artigos de utilização única. Na lista divulgada pelo governo em decreto de lei esta quinta-feira, 2 de setembro, estão ainda incluídos cotonetes e varas para balões.

O Ministério do Ambiente e Ação Climática refere que esta medida vai de encontro à diretiva europeia de junho de 2019 que tem o objetivo de reduzir o impacto dos artigos de plástico de utilização única.

“É proibida a colocação no mercado de determinados produtos de plástico de utilização única, tais como cotonetes, talheres, pratos, palhas, varas para balões, bem como copos e recipientes para alimentos feitos de poliestireno expandido”, lê-se no decreto de lei.

Na sequência desta ação, o governo traça ainda metas na redução do consumo de copos e embalagens em pronto a comer. Serão menos 80 por cento até 2026, uma diminuição face aos valores que serão alcançados em 2022.

Em breve serão anunciadas medidas para que estas metas sejam alcançadas, como é ocaso da disponibilização de recipientes reutilizáveis mediante a cobrança de um depósito.

MAIS HISTÓRIAS DE OEIRAS

AGENDA